Arquivos Mensais: Outubro 2005

>Um simples número

>Podias ser um númeroDaqueles que ganham valorQuando se somam a outrosE se elevam e escondem nas raízesE se dobram em letras Podias ser um número perfeitoUm daqueles que vale por si ou piUm que mete medo ou dá esperançaUm indivisível, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Um simples número

Podias ser um númeroDaqueles que ganham valorQuando se somam a outrosE se elevam e escondem nas raízesE se dobram em letras Podias ser um número perfeitoUm daqueles que vale por si ou piUm que mete medo ou dá esperançaUm indivisível, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

>Estendo as palavras

>Tentei escrever o teu nomeNas costas de uma ondaPara que no mar altoTu desaparecesses de novoHoje o mar reflecte o teu nomeEscrito no céuEm cada manhã Hoje rasguei a tua fotoPeça por peçaFui construindo na memóriaCada pedaço deitado foraÉ esse … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Estendo as palavras

Tentei escrever o teu nomeNas costas de uma ondaPara que no mar altoTu desaparecesses de novoHoje o mar reflecte o teu nomeEscrito no céuEm cada manhã Hoje rasguei a tua fotoPeça por peçaFui construindo na memóriaCada pedaço deitado foraÉ esse … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

>No teu olhar

>Parou o tempoIluminado o sol pelo teu sorrisoPararam as horas para te contemplarComo eu tantas vezes paradoFugiu o negro da sombraEsconderam-se as nuvensE corre agora o momentoPula de alegria entre o nosso olharComo pulam as mãos nervosasE todo o meu … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

No teu olhar

Parou o tempoIluminado o sol pelo teu sorrisoPararam as horas para te contemplarComo eu tantas vezes paradoFugiu o negro da sombraEsconderam-se as nuvensE corre agora o momentoPula de alegria entre o nosso olharComo pulam as mãos nervosasE todo o meu … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

>Fado nocturno

>Naquele bairro escondidoNão se escondem as palavrasCanta-se o fado à desgarradaDesbragada a voz que não se cala Fala-se à noiteCantando as saudades na guitarraTrinam as cordas num choro sóEnroladas na negra capa do olhar E a roupa que se esfregaNa … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized