Imaculada

Guardo Imaculada em mim
As palavras com que me afagas na noite
Na calma voz do teu regaço
E me levas no dia
No suave toque da tua mão
Diante de Ti volto a nascer
Diante de Ti nasce o meu dia
E pelos Teus caminhos
Há Tua imagem e sabedoria
Percorro serenamente os Teus passos
Pois calma deve ser a viagem pela terra
E calma a sombra de ensinamento que deixamos
Calmo o manto que seguro em desespero
E que vejo tantas vezes sob mim
Servir de chão nos precipícios
E sobre mim
Cobrir as tempestades que provoco
E canto escondido ao Teu abraço
Refugiado na vergonha de me saber fraco

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

2 respostas a Imaculada

  1. Livro! Livro!Estamos à espera impacientes!BeijocasJá cheguei!

  2. Girassol diz:

    Que musa inspiradora se atrevería a resistir a estas palavras?

Os comentários estão fechados.