Não saias já

Não saias já
Ainda falta tanto tempo para percorrermos
Foram tão poucas as palavras que trocámos
O adeus não pode ser já

Fica mais um beijo
Ainda nos falta descobrir tantos lugares do corpo
Eram apenas ontem dois beijos atirados ao acaso
Não se fizeram dois caminhos

Ainda não é tempo de olhar para o céu à tua procura
Ainda não é tempo de te descobrir longe de mim

Não saí
Fui ser chuva na terra
E salpicar-me entre o que conheço e o que descubro
Animar flores e esconder bichos
Molhar cabelos e esconder lágrimas
Fui saber-me só

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Não saias já

  1. Ana P. diz:

    Estive ausente, fugi para terras francesas, mas estou de regresso…Beijinhos

Os comentários estão fechados.