>De adeus

>Posso pedir que me beijes
Sem querer que me ames
E tu amares-me sem me beijares
E de repente
Abrirmos a porta do quarto
E sabermos que não é nossa a vontade
Mas do corpo em sede de corpo
Na presença do desejo
E esquecermos os pedidos
E roubarmos o ar do outro
Na boca, nas mãos e no calor
E na madrugada
Olhar a vontade suja na cama
E o desejo fugir nas lágrimas
E as mãos guardadas nos passos
De Adeus.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.