Arquivos Mensais: Setembro 2009

Maçã

Era tempo de colher o fruto da árvoreApanhar aquela imensa força da naturezaTê-la na minha mãoE sentir o peso dos meus diasVer na cor e na luzA pele torrada do calorE a chuva do corpo ao solOs dedos encarquilhados da … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Dancei contigo

Ontem sem saberes deixaste-me a sonharPeguei na tua mãoLevei-te para dançarE vi rodopiares por entre olharesE sobrolhos erguidos de espantoE saboreei a tua belezaPor entre as mãos e os olharesE deixei de parte a músicaE vivi cada gesto como se … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Se eu pudesse

Se eu pudesseOlhava de novo nos teus olhosPegava na tua mãoE não deixava que pudesses sairSem te dar a sentir a minha boca Se eu pudessePegava no teu olharE respondia-lhe com o meuEm boca, em mãos em corpo e em … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Se ela soubesse

Se ela soubesse o que acontece quando os olhos se fechamVem o olhar dela e deita-se em mimSeguem as mãos no caminho do olharE logo depois o cheiro do pescoçoE não é do perfume que faloNem é da pele ao … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Sou teu

Enquanto espero a noite quentePenso no teu soproE deixo-me adormecerE vou no sonho até ao solE dou voltas no teu olharSou do sol e sou das nuvensDos mares de saber e de quererE vou ao teu encontroOnde nao te posso … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

O meu jardim

Encontrei-te no jardimEntre flores e dias feitos restos de folhagensCaminhavas lentamenteNos passos do teu trabalho silenciosoTerno o teu olhar e terno o meu sobre tiCarinhosa a tua forma de andarE envolvente a natureza do teu corpoPodia sentar-me e passar um … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Eu marinheiro

Sabes o que vejo quando olho para tiUm mar imenso de vontadesUma rede enorme de perguntasUma quantidade de peixes de coresQue correm desorientados a sorriremAzul, verde e até encarnadosE há bolhas de arDaquelas que surgem não se sabe de ondeQue … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Contigo

Junto a ti eu podiaLevava o tempo no punho cerradoE parava o vento com a outra mãoCorria campo abaixo até ao marE soltava as horas como ondas Contigo eu podiaEscrevia sempre as frases certasCantava no tom cada paixãoE espelhava na … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Onde foi

De que te risSe eu ja nem consigo pensarOnde é que foiQue te apercebeste de seresUm só em ti De onde foiQue numa ideia tão simplesTu conseguisteVer aquilo que não disse Como é que foiQue neste meu desesperoTu percebesteQue tudo … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Quando não sou

Quando me vejoA lutar sem destinoEu Te sinto tão longe E quando me sintoNum caminho perdidoEu não tenho a Tua mão Quando me tocas em silêncioEu não vejo que és o caminhoE não sei quem me conduz Mas quando me … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized