O teu nome

Hoje falei de ti ao acaso
Desembainhei o teu nome
E cortei o silêncio contigo
E foi tão forte o gesto
Que ainda agora
Depois das horas passadas
Sinto-te dentro de mim
Nas horas vagas da solidão
Há quanto tempo não saías de mim
Há quanto tempo não era teu o meu silêncio
Vou deixar que te leve o tempo
E que te carregue o diabo do escuro
Para que a manhã volte a sós comigo

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.