Arquivos Mensais: Junho 2012

Ser

Sou a razão de um amor perdido entre duas velas E o agitar de uma só onda Sou a razão do desencontro de um beijo E a estranha vontade de um encontro indesejado Sou a nuvem que esconde o sol … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Olhos de vento

Teus olhos de vento Sopraram de novo diante de mim A tua boca encantada Chamou-me em silêncio para dentro de ti E a rua manchada de gente do dia Perdeu-se nas mãos que tocaram verdades que passam guardadas E escondem-se … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Verso

És metade de uma canção Um verso esquecido Arrancado ao pensamento Um refrão meloso de um poema de verão E és também aquele murmúrio Que nos acorda de noite E nos leva a cantar todo o dia Sem descobrirmos o … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Oração à noite

Vem noite calma em voz deitada Sobe ao meu ouvido o teu murmúrio E acalma o meu turbulento pensamento Enrola-me em sedas de descanso e paz E chama-me ao sentido da escuridão Vem lenta suave e nua Sem as cores … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized

Fábulas

As minhas fábulas não têm raposas nem galos Nem sentidos escondidos As minhas fábulas são simples E às vezes esquecem o sentido As minhas fábulas têm o teu nome Sussurrado por mim na descoberta de um encontro Têm olhares trocados … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Roda gigante

Conheci-te numa roda gigante De um lado via um mar turbulento e cinzento Do outro tocava-te no meu pensamento E tu Em que lado me descobres?   Conheci-te numa roda gigante Em voltas sem fim e sem tempo Numa roda … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized