O que quero

O que quero és tu
Não é apenas o fino contorno da tua boca
Desenhado pela ponta dos meus dedos
No agitado sonho do desejado

O que quero és tu
Inteira nas horas directas do sol

O que quero
Não é a escrita delicada das palavras
Em versos simples de palavras ocas
Para cobrirem o imenso vazio do silêncio

O que quero
É um imenso manto de silêncios
Cobertos por toda a tua presença
De fartas palavras e profundos olhares

É ver do céu a terra preenchida por um simples abraço
E descobrir-me nu diante das tuas descobertas

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.